EVILGAMBIT´S LAIR

Evil Responde no finalzinho de 2017 – por evilgambit

Vamos terminar o ano neste blog como devemos, de forma saudosa.

 

 

A ideia original para o final deste ano era escrever um pouco sobre o que eu joguei, li e assisti em 2017. Por questão de tempo e saco nem sempre eu me proponho a confinar-me no escritório e escrever sobre variadas coisas que optei por experimentar ou vivenciar neste ano e que faz parte dos temas tratados neste blog. Daí a intento em compensar um pouco no último post do ano.

Melhor ainda, recebi com agrado a proposta de um amigo leitor: “porque não responder umas perguntas dos leitores, como nos velhos tempos?”. Para quem não chegou a conhecer havia um espaço até que famoso dentre os leitores daqui onde semanalmente eu respondia perguntas de TODOS OS TIPOS. A sessão deixou de ser atualizada e foi extinta à mais de 10 anos.

 

Propus a ideia na página do Facebook e recebi alguma atenção, selecionei algumas e aqui vai uma espécie de “revival” da velha e saudosa seção Evil Responde,

Em tempo: eu suprimi e resumi as perguntas que foram enviadas, de nada.

 

 

Pergunta: Cara, vi um post bem antigo seu do blog falando sobre o emulador de snes pra ps3, poderia me tirar umas dúvidas?

Evil responde: Eu destravei meu PS3 no princípio da cena de homebrews, logo após o console ser desbloqueado. Dai deu uma saudade danada de jogar umas coisas na PSN e acabei retornando a legalidade. Portanto eu estou bem por fora desses assuntos hoje em dia, mas com certeza clicando aqui você terá bastante coisa para pesquisar sobre o assunto.

 

 

Pergunta: Qual game mais te empolgou com imagens e/ou trailers, mas na hora de jogar te deixou “puto”?

Evil responde: Olha eu sou bem suscetível a bons trailers de divulgação, como a maioria das pessoas. Geralmente sequencias de grandes jogos me deixam num hype intenso, caso de Yakuza Kiwami 2 e Red Dead Redemption 2. Mas na hora de comprar um jogo eu costumo ler a respeito antes de comprar… qualquer coisa (não só videogames). Um caso recente onde eu li bons relatos e acabei de decepcionando bastante com um jogo foi com Fallout 4 – mas certamente mais porque a proposta do jogo não se alinha com meus gostos pessoais e tempo disponível para me dedicar a um único jogo. Por isso nem me atrevo a falar mal dele.

 

 

Pergunta: Quanto custa manter a EGL financeiramente, ela te dá retorno em grana e tal? Porque você continua mantendo ela no ar?

Evil responde: Entre domínio e hospedagem deve sair uns 300 reais por ano. A EGL não dá retorno financeiro, nunca deu. Eu coloquei um banner do adsense do google porque me disseram que isso poderia ajudar no sistema de busca para assuntos tratados aqui, só por isso (puro esoterismo, manjo porra nenhuma disso). Eu nunca tive intento em lucrar com o site, fórum ou blog (ah, também na página no Facebook). No princípio, e quando digo isso me refiro ao começo dos anos 2000, eu determinava um esforço na “cena” da emulação, romhack e tradução de jogos, a página era uma espécie de divulgador de diversos trabalhos, além de disponibilizar de forma gratuita (e ilegal) alguns jogos em formato ROM. Agora é meio que um hábito meu, uma espécie de legado que eu sinto que se parar vou sentir falta, nem sei porquê.

 

 

Pergunta: O que te faz ficar animado hoje com um jogo? Há algum lançamento que você está no aguardo?

Evil responde: Acho que existe dois tipos de jogos que a gente espera, aqueles que a gente já sabe o que esperar (tipo sequências de grandes produções AAA, etc) e aquilo que a gente não espera. Acho que facilmente um jogo que eu aguardava a bastante tempo era The Last Guardian, que eu joguei e comentei aqui no blog.

Um lançamento que eu esperava a tempos era a tradução do Tengai Makyou Zero do SNES para o inglês (que estou jogando no momento) e um que eu espero ansioso é a versão ocidental do Dragon Quest XI para o PS4 e o Blazing Chrome para PC.

 

 

Pergunta: O que você achou de STAR WARS VIII – OS ÚLTIMOS JEDI?

Evil responde: Ousado, bonito e tornou Luke Skywalker mais humano e menos icônico. No começo eu não entendi muito bem porque as pessoas detestaram o filme mas acho que na verdade o filme tratou de consertar da melhor maneira possível as cagadas do seu antecessor, como: porque diachos Luke cagou e desapareceu? Para que inventar um Imperador novo com hanseníase? Quem são os pais da heroína de uma nova geração?

A armadilha para cair nas cagadas dos três primeiros episódios estava formatada. É engraçado as pessoas desejarem novamente que tudo seja amarrado ao passado de alguma forma. Achei bom que o ciclo “cagadas Skywalker” esteja claramente ficando para trás, a nova geração de fãs merece novidades e melhor ainda: finalmente um vilão que sabe atuar.

 

 

Pergunta: Eu normalmente não gosto de listas, a não ser que seja de alguma pessoa na qual eu realmente confie na opinião. Queria uma lista daquilo que tu considera o cânone dos J-RPGs, aquilo que eu preciso jogar pra ter passado por tudo que é altamente relevante no gênero, uma amostragem que me mostre a evolução do gênero através do tempo.

Evil responde: Uma pergunta que certamente valeria um artigo, mas como eu sempre prometo artigos que nunca escrevo vou resumir o esqueleto do que certamente dissertaria de forma bem mais ampla e variada, se tivesse mais tempo para pensar e escrever, mas vamos lá:

Dragon Quest III (SNES), um RPG japonês que tem em seu DNA a pureza do gênero aperfeiçoado no arquipélago nipônico. A narrativa, sistema de combate, classes e história são a princípio simples, mas escondem belezas aos que se dedicarem tempo e atenção, como o “link” que faz com os jogos anteriores, locais secretos para encontrar, muitos extras em forma de classes especiais e coisas escondidas. É o brilhantismo de um formato que dura até hoje.

Chrono Trigger (SNES): A ideia original era fazer mais um Dragon Quest, mas a participação da Square Enix claramente trouxe o vigor e novidade que já era considerado necessário em 1995. Um sistema de combate menos persistente, uma história com apelo universal, o primor técnico no limite do permitido na plataforma e o carisma que só os melhores da industria poderiam impor aos jogadores.

Eu ainda poderia citar Earthbound (SNES) que ousou tratar de um universo cotidiano, com um humor imbatível até hoje. Final Fantasy VII que ocidentalizou o gênero, Front Mission 5 que é o único sistema “tactics” que eu tolero jogar, em muito pela sua temática política e anti-militarista.

 

 

Pergunta: Tem como acessar o antigo fórum do EGL?

Evil responde: Só sendo virgem e tetudo.

 

 

Pergunta: Evil, qual sites, blogs e canais no Youtube você nos recomenda?

Evil responde: Eu gosto bastante do shmuplations.com, que é um site que traduz, organiza e cataloga deliciosas entrevistas e matérias de revistas japonesas, envolvendo conteúdo interessante sobre desenvolvedores japoneses dos anos 80 e 90 em particular. É um deleite.

The Cutting Room Floor é um site muito foda, uma espécie de wiki onde é possível achar qualquer tipo de conteúdo não utilizado nas versões finais dos jogos. Coisas como musicas, personagens, itens e fases inteiras que não estão disponíveis na versão final do jogo, mas que podem ser encontradas nos arquivos do ROM ou ISO do jogo.

Wrestling With Gaming é um canal no Youtube bem legal, o cara desenvolve verdadeiros documentários com conteúdo quase sempre retrogame, como a história da RARE ou o modem que o Family Computer (NES) teve apenas no Japão.

 

 

Pergunta: Eu sinto falta das resenhas de filmes japas, então queria recomendações das últimas coisas que tu viu.

Evil responde: Bem recentemente eu vi o centésimo filme de um dos meus diretores preferidos, Takashi Miike, o Blade of the Immortal. É baseado no mangá ou anime, sei lá, que eu não vi/li. Mas achei o filme muito foda!

Nem tão recentemente, eu finalmente consegui uma cópia do Godzilla novo, o Godzilla Resurgence. Eu sei que o filme é de 2016 mas eu só consegui ver no começo desse ano. Eu gostei bastante, mais que o Godzilla da Warner de 2014. Eu achei bem interessante a história de certa forma mais realista que mostra como o governo japonês (acostumado a desastres naturais) lida o surgimento e destruição causada pelo monstro de forma quase… burocrática a princípio. Tem umas coisas bizarras aqui e ali, mas sem isso não seria um filme japonês. É uma pena que passou totalmente despercebido aqui.

 

 

Pergunta: Qual o melhor filme de 2017?

Evil responde: Você mandou essa pergunta faz dois dias, fiquei pensando nela e não consegui me decidir entre “Blade Runner 2049” e “A Ghost Story”.

Não vou “embedar” um vídeo do Blade Runner 2049 porque eu sei que a essa altura do campeonato quem queria assistir já assistiu. Sobre o “A Ghost Story” quanto menos você souber, melhor. Só fica a dica para assistir e ir atrás de quase tudo que essa produtora A24 anda fazendo nos últimos tempos.

 

 

 

Um 2018 produtivo e insertivo para todos!

 

5 comentários

5 Comentários

  1. Postado por Takuma em 30/12/2017 16:45

    Po, ja saiu o filme do blade? O mangá e animal, ta terminando no br, logo logo aparece os 15 com super desconto.
    Sdds evil responde 😀

  2. Postado por Mariana em 30/12/2017 16:57

    Ghost Story é muito bom, mas Witch é melhor…

    Continua com essa seção pfv

  3. Postado por Enzo em 30/12/2017 22:02

    O Godzilla é do caralho. As cenas cortadas mostrando as tripas mutantes dele só com efeitos práticos e tal são incríveis também.

  4. Postado por Elazul em 2/01/2018 07:01

    Faltou a Garota ER!

  5. Postado por coffeejoerx em 5/01/2018 00:39

    Feliz 2018 para você também Evil.

Deixe um comentário (construtivo)

Mexico